O profissional de mergulho necessita de um mercado mais profissional

Profissionais de mergulho são as pessoas que começama educação de mergulho de cada mergulhador, hoje vamos iniciar uma série semanal falando sobre eles e sobre o mercado de mergulho em geral.

Foto da Turma do IDC depois do IE
Minha turma de IDC logo após o exame de instrutor

Vamos falar sobre o porque se tornar um profissional de mergulho,  depois falaremos como se tornar um profissional de mergulho e abordaremos alguns desafios que os profissionais de mergulho recreativo enfrentam.

Mas hoje o assunto é o mercado de mergulho atual, o que você encontrará sendo um profissional ou um cliente pensando em mudar de lado do balcão.

 

Profissional de mergulho é profissional e tem de ser tratado como tal!

Segundo o Dicionário Priberam da língua portuguesa, Profissional é aquele que é remunerado regularmente pelo trabalho que executa ou atividade que exerce (em oposição ao amador).

Assim sendo é preciso entender que o profissional de mergulho apesar de toda a paixão pelo mergulho, mergulha e ensina pelo mesmo motivo que as pessoas vão para o escritório, para ganhar dinheiro!

Mergulhar, segundo alguns mergulhadores, é caro, agora imaginem o quão caro é ter uma formação profissional para ensinar os outros a mergulharem? O quanto se investe em equipamento, quantas horas estudando e mergulhando para dominar os exercícios e as habilidades.

O descaso das empresas de mergulho com o profissional

Como meu pai sempre dizia, toda a empresa existe para dar lucro! Simples assim. Num mercado como o do mergulho, que nos grandes centros é competitivo, a guerra de preços é uma insanidade. Então pra garantir a lucratividade as empresas tem de pensar em cortar custos, e o primeiro custo que eles cortam é o pagamento dos profissionais.

Algumas pagam R$ 50,00 o fim de semana de um Divemaster, outras nem pagam, oferecem a própria viagem, ou até mesmo um desconto na viagem, como “pagamento para um profissional”

O reflexo do corte de pagamento na segurança do mergulhador.

Bem um profissional mal pago, precisa de outras atividades, para garantir o mínimo de entradas no mês para pagar suas contas, mesmo as de mergulho, afinal o equipamento dele precisa de manutenção, no menor dos casos.

Ora um profissional de mergulho que não recebe nem para pagar a manutenção do seu equipamento estará 100% focado no cliente?

E o profissional que recebeu a viagem, ou um desconto nela, como pagamento, será que o foco dele ali é fazer o seu papel como profissional? Ou curtir o seu “pagamento”?

Ora se o profissional de mergulho não está focado, o resultado pode ser uma fala de segurança, que leva a um acidente. E esse é o primeiro ponto que devemos entender, que empresas que não valorizam os seus profissionais, no fim das contas, não dão o mínimo para a segurança de seus clientes.

O maior absurdo em subvalorização do profissional de mergulho.

Há um tempo atrás alguns Divemasters muito bons vieram falar comigo, porque aonde trabalhavam não estava dando certo.

Bem, eis que eles me disseram que na referida empresa para eles serem escolhidos para viagens, a tabela era baseada em quanto cada divemaster gastou na mesma.

Ou seja, para trabalhar você deveria gastar, e mais do que você iria receber, no fim das contas as pessoas pagavam para trabalhar.

Mas não é justo que os profissionais de mergulho paguem para ganhar experiência.

Não! Depois de certificado o profissional de mergulho é profissional, se o instrutor quer que ele ganhe experiência que o faça durante o treinamento. O justo seria que os profissionais tivessem sua remuneração aumentada pela experiência e resultados na empresa.

Ou seja, Divemasters, Instrutores etc. Deveriam receber como acontece em qualquer mercado!

O reflexo da “crise do mergulho” vem da falta de política e estruturas profissionais reais.

Sem uma estrutura profissional, os instrutores e divemaster não valorizam o seu trabalho, ou mesmo são Hobbistas, praticantes de um hobby.

Enquanto o mercado não reconhecer que a chave está nos seus profissionais, o crescimento continuará a ser pífio e a atividade continuará a ser de um mergulho só.

O que gera pouco interesse de parcerias com outras industrias para abrir novos pontos de mergulho, o que gera menos interesse da mídia com o mergulho, o que leva a ter menos clientes.

O que mudar e porque quem está pensando em ser profissional de mergulho é a chave

Mais uma frase conhecida: “É impossível ensinar novos truques para cachorro velho”.

Eu discordo dessa frase, mas é mais difícil fazer as pessoas que estão há muito tempo no mercado inovar, assim para haver mudança, essa mudança deve ser trazida por quem está iniciando na atividade.

A primeira coisa a mudar é a mentalidade, se você quer ser profissional de mergulho, ou já é e quer mudar o mercado, comecemos a mudar a mentalidade, nos valorizando como profissionais.

E principalmente trabalhando com quem quer nos valorizar.

E o que vem agora?

Na próxima semana vou falar dos cursos de formação profissional, o divemaster e os cursos de formação de instrutores, como escolher o seu!

 

Se você gostou deste artigo, por favor compartilhe nas suas redes sociais! Se discorda de algo, ou tem um ponto de vista diferente, eu gostaria muito que você comentasse abaixo.

TAZ (155 Posts)

Alexandre é sócio e coordenador de educação da Maniac Divers, www.maniacdivers.com.br, IDC Staff PADI, instrutor de diversas especialidades, sendo suas favoritas Naufrágio, Nitrox e Sidemount.



Price:
Category:     Product #:
Regular price: ,
(Sale ends !)      Available from:
Condition: Good ! Order now!

by

Comente aqui, sua opinião é muito importante